Correr dá vida. Correr é vida. Portanto, Corre Maria!

Autor: Diana Coimbra Gaspar    Data: 3-02-2018
Publicado em: Opinião
São inúmeras as mulheres que mudam as suas vidas quando começam a correr. Não possuo dados científicos, mas sinto que assim é porque, por um lado, correr é um movimento inato de liberdade e, por outro, porque se revela, por si só, um fantástico ansiolítico e antidepressivo, livre de contraindicações.

Portanto, correr, para além de dar vida ao corpo através do movimento, dá vida à alma e permite-nos evoluir, de forma natural, como pessoas. Correr torna-nos pessoas melhores, acredito eu! Porquê?

Quando corremos conseguimos ouvir melhor a voz que vive dentro de nós… aquela que nos começa por dizer que não vamos conseguir, que não seremos capazes, que todas as outras mulheres têm mais força de vontade ou determinação que nós…acreditamos que ao fim do primeiro quilómetro vamos morrer, vamos deixar de respirar ou que vamos desmaiar entre muitas outras alucinações… e aí o grilo falante diz-nos que não aguentamos mais, mais nada, nem mais um quilómetro, nem mais um metro, nem mais um passo…e o que acontece na realidade? É que aguentamos mais um, mais dois, mais três e a vida muda a cada passo que damos a desafiar o grilo falante destruidor.

Este desafio, que parece simples, diz muito sobre a corrida em si, sobre a voz que vive dentro de nós e que nos diz que não vamos ser capazes, bem como sobre outras dimensões das nossas vidas. Sim, porque a mesma voz que nos diz que não aguentamos mais, quando na realidade aguentamos, também nos diz que não temos valor quando temos, que somos fracas quando não somos e que, temos um milhão de defeitos e imperfeições quando não temos. Ora isto significa que quando corremos ficamos mais conscientes da nossa voz interior, ganhamos mais confiança, mais amor e descobrimos que para além de correr no nosso bairro, temos força para correr no bairro vizinho, e noutro, e noutro, e noutro. Desenvolvemos dentro de nós a confiança de sermos capazes de correr o mundo.

O mundo avança a cada passo, a cada metro, a cada quilómetro, a cada corrida. Mais do que uma moda, correr abre-nos a porta para a liberdade de questionarmos quem somos, os nossos papéis e as nossas reais forças. Correr é conhecimento, é amor, é luta, é determinação e é acima de tudo – LIBERDADE – para sermos o que quisermos ser e para construirmos dentro de nós o mundo em que queremos viver, e sim somos capazes de correr o mundo!