Flores e Corvo recebem segunda edição do Extreme West Atlantic Adventure

Autor: Redação    Data: 15-09-2020
Publicado em: Eventos

Depois da realização da Taça de Portugal de Trail, em novembro de 2018, a organização do Azores Trail Run® lançou, em 2019, uma prova de etapas de 3 dias nas ilhas das Flores e do Corvo, denominada Extreme West Atlantic Adventure. A segunda edição estava agendada para os dias 5, 6 e 7 de junho último, tendo a pandemia de Covid-19 obrigado ao seu adiamento

Na sequência da crise sanitária, a organização preparou a realização do evento de acordo com as directivas regionais e internacionais para os próximos dias 18, 19 e 20 de setembro, com a mesma roupagem do ano anterior, adaptando, no entanto, todo o evento à nova realidade trazida pela crise pandémica.

De acordo com o coordenador do Azores Trail Run®, a principal preocupação foi criar um plano de contingência, procurando encontrar as medidas a tomar para adaptar a prova a esta nova realidade, tornando-a segura para todos os envolvidos. “A organização elaborou um exaustivo plano de contingência, definindo todas as medidas a tomar para realizar a prova em segurança, tendo esse plano sido validado pela Autoridade de Saúde Regional”, explica Mário Leal.

Desde a limitação do número de participantes à obrigatoriedade de apresentação de um teste negativo aquando do levantamento do kit do atleta, bem como a inclusão de uma máscara no referido kit, o agendamento de horas específicas para levantamento do material ou a possibilidade pré-definida de um atleta levantar o material de vários colegas são algumas das novidades, assim como voluntários com os devidos equipamentos de protecção individual e desinfecções programadas dos espaços. Será ainda realizado um inquérito epidemiológico a cada participante, o briefing presencial passará a ser online e o papel é praticamente abolido do processo, com os formulários a serem solicitados por via digital.

Também durante a prova há novidades para manter a segurança, como a criação de caixas de partida, a verificação das temperaturas dos atletas, o uso de máscara obrigatório nos primeiros 200 metros e a existência de partidas segmentadas. “Penso que conseguimos montar um evento que, apesar de garantir a segurança e a saúde pública, não perde a genuinidade e especificidade deste tipo de provas, onde, mais do que perder ou ganhar, interessa o convívio entre atletas e a camaradagem que se gera”, explica o coordenador.

À semelhança do ano anterior, esta edição do Extreme West Atlantic Adventure acontece ao longo de 3 etapas em 2 ilhas, num total de 70 km de aventura e história. A primeira etapa, na sexta-feira, será um Km Vertical, a arrancar na Fajã Grande, ilha das Flores. O “KV Escadinhas do Céu” percorre cerca de 6,5 km até ao ponto mais elevado da ilha, o Morro Alto. No segundo dia desta aventura, sábado, os atletas são convidados a navegar até ao Corvo, a mais pequena Ilha de Portugal, com pouco mais de 400 habitantes. Esta etapa leva-os desde a pequena vila, passando pela Cara do Índio, até ao ponto mais alto da ilha. Daí, desce-se até ao Caldeirão, e percorre-se o perímetro da antiga cratera vulcânica, regressando depois à vila. Finalmente, no domingo e de volta às Flores, é altura de percorrer os 35 km do Extreme West Atlantic Trail, passando por fajãs lávicas e detríticas, onde escorrem dezenas de cascatas, formando impressionantes quedas de água na encosta.

O Extreme West Atlantic Adventure by Azores Trail Run® conta com o alto patrocínio do Governo Regional dos Açores, e com os apoios das Câmaras Municipais de Santa Cruz e Lajes das Flores, da Cooperativa Ocidental e do Morro Alto Sport Club.

Foto: Pedro Silva

X