Azores Trail Run- Extreme West Atlantic Adventure percorreu os trilhos de Flores e Corvo

Autor: Redação    Data: 17-09-2019
Publicado em: Eventos, Notícias

O Azores Trail Run- Extreme West Atlantic Adventure percorreu os trilhos de Flores e Corvo durante o passado fim de semana. Foram três dias de aventura na primeira prova de trail por etapas nas ilhas do Grupo Ocidental.

Ao longo de mais de 70 km de extensão e 4500 m de desnível positivo, cerca de meia centena de atletas vindos de Portugal, Reino Unido, Holanda e França percorreram os trilhos das Flores e do Corvo, para ganhar uma perspectiva única não apenas das paisagens deslumbrantes destas ilhas, mas das próprias vivências culturais e sociais das mesmas.

Na sexta-feira, os atletas rumaram à Fajã Grande, na ilha das Flores, de onde partiram para o “KV Escadinhas do Céu”, percorrendo cerca de 6,5 km até ao ponto mais elevado da ilha, o Morro Alto. O caprichoso clima açoriano deu um ar da sua graça, com os atletas a experimentar, quase em simultâneo, um sol radioso de verão e uma chuvada gelada de inverno.

No dia seguinte esperava-os outra experiência de ilhéu: atravessar numa embarcação semi-rígida as 15 milhas que separam as Flores do Corvo, a mais pequena ilha do arquipélago açoriano. Aí, partida na pitoresca vila com destino ao Caldeirão, para depois regressar à vila, ao longo de cerca de 20 km. Concluída a corrida, foi tempo de conviver e recuperar forças para regressar às Flores, numa viagem com direito a brinde, já que os atletas puderam descobrir as magníficas grutas e quedas de água na costa da ilha.

Finalmente, no domingo, a última etapa percorreu 38 km através de fajãs lávicas e detríticas, onde escorrem inúmeras linhas de água, formando impressionantes quedas de água na encosta. No final, as memórias de uma experiência para guardar para a vida falavam mais alto do que o cansaço.
Para o coordenador do Azores Trail Run, o balanço é positivo: “conseguimos proporcionar uma experiência única a estas pessoas que, mais do que participar numa competição, vieram viver uma experiência intensa e magnífica, descobrindo este território ultra-periférico, não apenas pela observação da sua beleza única, mas também pelo contacto com as suas gentes”, refere Mário Leal.

A organização de um evento como este num terrítório como as Flores e o Corvo só é possível graças ao empenho da comunidade local. A colaboração do Morro Alto Sport Clube e das autarquias das duas ilhas foi um factor chave para tornar a Extreme West Atlantic Adventure realidade. A este respeito, o presidente da Câmara Municipal de Vila do Corvo salienta que foi com “grande orgulho e empenho” que a autarquia se associou a esta iniciativa, em conjunto com as autarquias das Flores, “para que os dois destinos passem a figurar também no panorama do Trail nos Açores”. “Achamos que temos que melhorar mas que reunimos as condições para que mais provas se realizem no Corvo. Não querendo ser pretensioso, acho que a satisfação geral dos participante foi bastante positiva, apesar de alguns percalços de iniciantes nestas andanças”, considerou José Manuel Silva.

Na cerimónia de entrega de prémios, a directora regional do Turismo destacou a importância deste evento para a economia das ilhas onde se realizou. Marlene Damião considerou esta prova “mais um grande evento organizado sob a marca Azores Trail Run”, destacando o trabalho realizado por esta organização desde 2014, que tem lançado os Açores nos circuitos nacionais e internacionais da modalidade.

A Azores Trail Run – Extreme West Atlantic Adventure contou com o alto patrocínio do Governo Regional dos Açores, e com os apoios das Câmaras Municipais de Santa Cruz e Lajes das Flores e de vila do Corvo, e ainda da Cooperativa Ocidental. No calendário de eventos Azores Trail Run, segue-se agora a Triangle Adventure, já no início do próximo mês de outubro,e que leva os atletas numa prova de etapas pelas ilhas do Pico, São Jorge e Faial.

Fotos: Pedro Silva

X