Dário Moitoso em vésperas do Golden Trail Championship

Autor: Alexandra Simão    Data: 27-10-2020
Publicado em: Entrevista

Dário Moitoso, açoriano, 27 anos, natural do Faial, é um jovem tímido, dedicado, competitivo, trabalhador e muito focado. Concilia o trabalho na exploração agrícola da família com treinos intensos e exigentes.

Atleta do Clube Independente de Atletismo Ilha Azul (CIAIA) e do Azores Trail Run, Dário Moitoso sagrou-se recentemente bi-campeão nacional de trail. Em 2018 já se tinha classificado em segundo lugar no Campeonato e na Taça de Portugal. A nível internacional já deu nas vistas na OCC do Ultra Trail du Mont-Blanc, com um nono lugar em 2018 e um sétimo lugar na edição de 2019. Também em 2019, no Mundial de Miranda do Corvo foi o quarto melhor português e terceiro classificado na exigente Marathon Des Sables no deserto de Ica, no Perú.

A Alexandra Simão entrevistou o Dário aquando da conquista do seu primeiro título de campeão nacional e agora, em vésperas do Golden Trail Championship, “revalida” aqui também a entrevista.

Antes de mais, quero agradecer-te a disponibilidade para podermos realizar esta entrevista que, inevitavelmente, terá o seu foco na revalidação do título de Campeão Nacional de Trail. Sabendo que vivemos uma atualidade atípica nas nossas vidas, como foi treinar nestas circunstâncias, em que tudo era incerto?

Talvez tenha sido mesmo o facto de ser incerto que tornou mais fácil manter o treino; ser uma situação atípica e não saber quanto tempo iria ou irá durar. Tentei sempre acreditar que seria por pouco tempo! Ter um círculo de pessoas que não nos deixam desistir dos nossos sonhos também foi e é muito importante!

Foi também uma oportunidade única para treinar de forma mais consistente e muito metódica, sem paragens pré e pós competição. Para além de que tive o tempo necessário para realizar alguns projetos pessoais, já há muito pensados mas que acabavam por ficar no fundo da gaveta por falta de calendário.

O Campeonato Nacional de Trail era o grande objetivo deste ano, após sucessivos cancelamentos de provas também importantes? Esta seria, agora, a principal competição a disputar?

Esta época estava a ser planeada com um grande número de provas internacionais, provas importantes e competitivas. O Campeonato Nacional de Trail também fazia parte do planeamento inicial, porque é sempre uma prova muito competitiva e uma verdadeira festa do trail em Portugal!

Com esta nova realidade, a certa altura pensei que o Campeonato Nacional não se iria realizar, tendo sido até adiado por uma vez. Com a árdua e responsável tarefa de defender o título conquistado na Serra d’Arga, em 2019, e com o bónus de uma vaga na seleção nacional tornou-se uma prova muito importante para mim neste ano atípico e de incertezas.

E chegou o dia: o Campeonato Nacional de Trail, em Penacova. Que sensações tiveste, Dário? Sempre consideraste que era possível revalidares o título? Quais foram as principais dificuldades?

É verdade! Depois de tanta incerteza chegou finalmente o dia! Acredito sempre (e não fosse eu um eterno sonhador). Sabia que seria uma tarefa muito complicada pelo crescente nível de competitividade que está a surgir em Portugal e por não conhecer absolutamente nada do percurso.

Numa prova com este nível de competitividade é sempre difícil deixarmos as emoções de lado. Ter a plena noção da nossa capacidade física, saber onde e quando arriscar ou não… tentar gerir, ao máximo, a nossa condição física. Foi o que tentei fazer desde o início da prova, sobretudo, encontrar um ritmo forte mas que ao mesmo tempo não colocasse em causa a prova em si. É difícil estar a competir num grupo e controlar as emoções para que estas não interfiram no desempenho da prova.

E no momento em que sobes ao lugar mais alto do pódio, Dário, que pensamentos tiveste e que emoções sentiste? Reparámos que estavas bastante emocionado…

Senti muita gratidão para com as pessoas que estão comigo! Sem um grande suporte/motivação nestes últimos meses seria mais complicado chegar a Penacova e vencer pela segunda vez consecutiva. E pensei muito em tudo isso, por isso é que emocionei daquela forma.

Parabéns, Dário! Não só pelo revalidar do título de Campeão Nacional, mas sobretudo por demonstrares que tão ou mais importante que saber perder é saber-se ganhar, sendo tu um exemplo disso mesmo. Próximos objetivos e/ou conquistas? Sabemos que os Açores vão receber uma das provas mais aguardadas para este ano.

Obrigado. O próximo grande objetivo será o Golden Trail Championship, aqui nos Açores. Poder competir com os melhores atletas do mundo é sempre um orgulho! Poder partilhar os nossos trilhos, as nossas ilhas, e tudo isso é muito especial! Espero que seja uma grande festa e uma verdadeira competição e que, acima de tudo, todos alcancem os seus objetivos! Os seus sonhos!

E os teus sonhos são…

Nesta prova passam, sobretudo por tentar o melhor resultado possível. O nível competitivo é enorme e ficar no top 20 seria muito bom! Mas, acima de tudo, espero ganhar mais experiência competitiva no meio dos melhores e claro, divertir-me muito!

Obrigada, Dário! Desejamos-te as maiores felicidades e que continues a levar o teu nome e o nome dos Açores a qualquer parte do mundo.

Artigos relacionados
Dário Moitoso em entrevista
Half Marathon Des Sables: Dário Moitoso em flash interview
GTSA: Dário Moitoso e Inês Marques conquistam Campeonato Nacional de Trail

Foto: DR

X